Quando Acabar o Maluco Sou Eu – 2010

Qdo acabar

Quando Acabar o Maluco Sou Eu – 2010
Coleção Saúde e Educação – número 1
Walter Melo, Filippe de Melo Lopes, Marcelo Tadeu Marchiori, Aline Gomes Martins, Danilo Rodrigues de Matos, Maria Alice Silveira, Nara Queiroz Moreira, Patricia Fonseca de Oliveira

Lançado no dia 30 de julho de 2010, durante o 23º Inverno Cultural da Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), Minas Gerais, o Quando acabar o maluco sou eu é um livro organizado pelo professor Walter Melo em parceria com a equipe do Núcleo de Estudo, Pesquisa e Intervenção em Saúde (NEPIS), da mesma Universidade.O livro é fruto do II Seminário de Saúde e Educação: quando acabar o maluco sou eu, ocorrido em setembro de 2008, na UFSJ. Nele estão reunidas todas as palestras ministradas durante o evento, nas quais foram abordados temas referentes à saúde mental, direito, educação, literatura e arte.
Dessa forma, o Quando acabar o maluco sou eu torna-se mais que um livro. Ele é também o retrato de uma ação conjunta que visa contribuir na melhoria da formação dos novos profissionais da psicologia e de outras áreas, ampliando os debates referentes ao campo da saúde e favorecendo a implementação de novas parcerias e de ações intersetoriais.

Sumário

Prefácio (Marcos Vieira Silva)

Introdução (Walter Melo)

Conferências

A Reforma Psiquiátrica brasileira: 30 anos transformando a sociedade e construindo cidadania (Paulo Amarante)

O campo da saúde mental no estado do Ceará: saúde, educação e cultura em articulação (Martinho Braga Batrista e Silva)

Um ensino extremamente humano: a residência hospitalar em psicologia (Ademir Pacelli Ferreira)

Olhares sobre “O Alienista”

As fronteiras da razão e da loucura na obra de Machado de Assis (Walter Melo)

Olhares sobre “O Alienista”: a ciência como olhar dos olhares (Murilo Cruz Leal)

Genealogia literária da loucura (Ronaldo Simões Coelho)

Saúde, Direito e Educação

Os direitos fundamentais em saúde mental (Roberto Osman)

Educação e saúde: um olhar holístico (Heron Laiber Bonadimam)

Atividades culturais

Doutores Por Um Triz: a alegria e o afeto como tratamento (Claudia Mariza Braga e Isadora d’Avila Toledo)

Uma experiência teatral para uma cultura antimanicomial (Renata Cristian S. de Sá)

Transformando em cena (Alessandro Conceição)

Considerações sobre a narrativa dos quadrinhos (Rafael Senra)

Quando o cinema e a cachaça se encontram em uma “pedagogia da provocação” (Aurélio Orth Aragão)

159 páginas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s